Júlia Borges, do Coletivo Vamos à Luta está há mais de 4 meses morando em Londres e acompanha o processo da ocupação que se dá aos moldes de Ocuppy Wall Street.





Na assembléia de hoje de mais de 500 pessoas sobre os passos de São Paulo, #occupylsx coletivamente acordado, a declaração inicial abaixo. Por favor note, como todas as formas de democracia direta, a declaração será sempre um trabalho em andamento.

1 O sistema atual é insustentável. É antidemocrático e injusto. Precisamos de alternativas, que é onde nós estamos trabalhando.

2 Estamos de todas as etnias, origens, sexos, gerações, sexualidades des / habilidades e crenças. Estamos juntos com ocupações em todo o mundo.

3 Nós nos recusamos a pagar a crise dos bancos.

4 Nós não aceitamos os cortes como necessários ou inevitável. Exigimos um fim à injustiça fiscal global e nossa democracia que representa as corporações, em vez do povo.

5 Queremos reguladores para ser verdadeiramente independente dos setores que regulam.

6 Apoiamos a greve sobre o 30 de novembro e a ação estudantil sobre o 09 de novembro, e as ações para defender os nossos serviços de saúde, assistência, educação e emprego, e para deter as guerras e tráfico de armas.

7 Queremos mudança estrutural no sentido da igualdade mundial autêntico. Os recursos do mundo devem ir para cuidar das pessoas e do planeta, e não os militares, os lucros das empresas ou dos ricos.

8 Estamos em solidariedade com os oprimidos global e nós pedimos um fim às ações do nosso governo e outrosque causam essa opressão.

9 Isto é o que a democracia parece. Venha se juntar a nós