Durante 10 anos, os estudantes da Unirio lutaram bravamente pela abertura do Bandejão. Ao longo destes anos, foram vários atos questionando os atrasos nas obras e os descumprimentos de prazos da Reitoria. No ano de 2014, foi com muita mobilização, em atividades organizadas pelo DCE, CA’s e DA’s como o Bloco-Ato e o Macarronaço que culminaram na audiência pública com a reitoria, que arrancamos o bandejão. Certamente, foi a pressão dos estudantes que abriu o bandejão!!

Entretanto, o Reitor Jutuca entregou nosso Bandejão nas mãos da empresa RioFood, privatizando esse espaço da universidade. Esta empresa não tinha a menor responsabilidade com a qualidade de serviço, descumprindo várias cláusulas contratuais como a que obrigava a RioFood a fornecer 6 tipos de entrada, 4 tipos proteicos, 3 tipos de guarnição 3 acompanhamentos e 1 bebida, e também café-da-manhã e lanche. Tudo isso sem o menor questionamento da Reitoria. E, pela segunda vez em menos de um mês, a empresa abandonou a prestação de serviço deixando os estudantes com fome.

A experiência com a privatização do bandejão demonstrou que os estudantes pagavam caro para comer mal enquanto a empresa lucrava absurdamente pagando um aluguel de apenas R$800,00 por mês com as contas de água, luz e gás INCLUSAS. Ou seja, esse modelo de bandejão além de deixar os estudantes na mão não representa as nossas necessidades.

Além disso, temos visto diversos escândalos de corrupção com os contratos entre empresas privadas e instituições públicas, como no caso da Petrobrás. Algo tem que explicar que mesmo descumprindo o contrato a Reitoria não tenha feito nada em todo esse tempo. Por isso defendemos que a reitoria da Unirio faça uma audiência para dar explicações sobre o contrato assinado e quais serão as medidas tomadas para a reabertura imediato do bandejão.
Infelizmente, no Brasil inteiro vemos bandejões fechando! Na UFRGS três bandejões estão fechados atualmente, na UFF e na UFES os bandejões fecharam por algumas semanas por falta de verba. Tudo isto reflexo do corte de verbas de 9 bilhões de reais da educação feitos pelo governo Dilma e Levy. O dinheiro do país tem que ir para a educação e não para banqueiros ou para corrupção. A única garantia que temos do bandejão não ser fechado arbitrariamente de novo é que seja realizado concurso público para os funcionários do bandejão.

A universidade tem o local, o equipamento, paga água, luz e gás, possui uma escola de nutrição, ou seja, tem toda a estrutura necessária só faltam os servidores que certamente seriam mais responsáveis com a qualidade e funcionamento do bandejão.

Exigimos a abertura imediata do bandejão da Unirio! Queremos um bandejão gratuito, 100% público e de qualidade. Por isso, convocamos a todos a se somarem a greve da educação federal que ocorre em todo o país, fortalecendo a greve dos técnicos administrativos para barrar o corte de verbas da educação e a privatização das universidades!

– Pela abertura do bandejão!
– Por um bandejão 100% público, gratuito e de qualidade!
– Pela participação dos estudantes, servidores e trabalhadores na administração do bandejão!
– Por um bandejão tarifa-zero! Que os estudantes e servidores decidam o valor da refeição por meio de uma Assembleia Geral da comunidade universitária.
– Que o bandejão atenda todos os campi, com três refeições diárias.
– Contra os cortes de verbas na educação! Pela suspensão do pagamento da dívida pública, que esse dinheiro vá pra assistência estudantil!

Juventude Vamos à Luta (CST-PSOL)